O país

É uma república constitucional federal localizada na América do Norte. O país é limitado a norte pelos Estados Unidos; ao sul e oeste pelo Oceano Pacífico; a sudeste pela Guatemala, Belize e Mar do Caribe; a leste pelo Golfo do México. Com um território que abrange quase 2 milhões de quilômetros quadrados, o México é o quinto maior país das Américas por área total e o 14º maior do país independente do mundo. Com uma população estimada em 111 milhões de habitantes, é o 11º país mais populoso do mundo e o mais populoso país da hispanofonia. O México é uma federação composta por trinta e um estados e um distrito federal (Distrito Federal). O México figura também como o segundo país mais populoso e rico da América Latina, em ambos os casos superado somente pelo Brasil.

Os 92.924.489 de católicos no México são, em termos absolutos, a segunda maior comunidade católica do mundo (depois do Brasil). E, 47% deles, frequentam os serviços religiosos semanalmente. Cada cidade, vila e aldeia mexicana tem um dia de festa por ano para comemorar os seus santos padroeiros locais. O dia da festa da Nossa Senhora de Guadalupe, a padroeira do México, é comemorado em 12 de dezembro e é considerado por muitos mexicanos como o mais importante feriado religioso de seu país.

Segundo uma pesquisa de opinião realizada em 2011 pela organização chilena Latinobarómetro, 52% dos mexicanos se disseram mestiços, 19% indígenas, 6% brancos, 2% mulatos e 3% “outra raça”.

O México é etnicamente diverso e a constituição define o país como uma nação multicultural. A nacionalidade mexicana é relativamente jovem, decorrente de cerca de 1821 – quando o México conseguiu a independência do Império Espanhol e é composta por muitos grupos étnicos regionais distinto (como os diversos povos indígenas e imigrantes europeus). A maioria dos mexicanos são mestiços que compõem o núcleo da identidade cultural do México. A população mexicana se divide  em três segmentos.

O segmento superior da sociedade mexicana, racial e culturalmente mais europeizado, controla a economia e as instituições políticas. Nessa camada situa-se as famílias tradicionais que integravam a aristocracial colonial, mesclada com matrizes indígenas.

O segundo segmento, considerado mestiço (mais culturalmente do que racialmente) forma o grosso da população mexicana. Embora, além da ascendência indígena, tenham absorvido certa proporção de sangue europeu e africano, integraram-se na sociedade colonial por meio da espanholização e da conversão ao catolicismo. Esse estrato vai desde o campesinato ao assalariado rural, dos trabalhadores rurais às camadas baixas da classe média rural e citadina.

Por fim, o terceiro segmento é formado pela massa de marginalizados culturalmente indígenas. Apesar de todas as alterações culturais sofridas ao longos dos séculos (que os distanciam do indígena no sentido pré-colombiado), essa camada ainda se vê unificada etnicamente como membros de suas comunidades tribais – preservando elementos culturais e de lealdades que os distinguem do resto da sociedade mexicana. Formam uma categoria marginal, relegada às áreas mais pobres do país. No México, 19% da população se consideram indígenas, mas delas apenas 6,6 milhões falam alguma das 364 variantes das 68 línguas que existem – segundo o Instituto Nacional de Línguas Indígenas (Inali).

Uma nação secular com liberdade moral e de práticas religiosas. A ruptura de 130 anos entre o governo mexicano e o Vaticano terminou com as relações oficiais sendo reatadas em 1992, e muitas restrições sobre a Igreja Católica  foram retiradas. As mudanças constitucionais de 1992 também garantem tratamento mais justo às minorias religiosas.

O projeto Ayuuk (Discipulando Nações)

Foi iniciado pelo Pr. Luciano Vicente no ano de 2012 o Projeto  tradução de literatura bíblica, onde várias etnias indígenas tem sido beneficiadas com folhetos e porções bíblicas impressas. Com o entendimento de quem ama traduz, esta missão de tradução tem avançado em diversos países além do Brasil e chegou ao México no ano de 2014, através de uma parceria entre a Missão Discipulando Nações e Unti – União dos Tradutores Indígenas presidida pelo Pr. Luis Chaves, entidade que apoia e promove a tradução bíblica, incentivando o uso da língua indígena e supervisiona o uso dos materiais traduzidos a centenas de línguas indígenas mexicanas.

Nesta parceria a Missão Discipulando Nações, passou a apoiar economicamente o pastor Victoriano Santiago e a missionaria Martha Elba que são nativos da etnia Mixe del Istmo – Ayuuk, do estado de Oaxaca no povoado de Encinal Colorado. O pastor Victoriano é líder da igreja nativa Ayuuk e responsável pela tradução do Novo Testamento para língua Ayuuk, tendo a missionaria Martha e outros indígenas como seus auxiliares neste grande trabalho de fé, há uma grande equipe trabalhando entre o povo Ayuuk para que torne realidade a escritura sagrada em sua própria língua materna. Alem do apoio econômico também auxiliamos na impressão de materiais traduzidos como folhetos evangelísticos e porções bíblicas (Evangelho de Marcos e Mateus). A impressão serve para incentivar os indígenas a conhecerem a palavra de Deus em seu idioma e também para correção e aprimoramento da tradução feita.

O trabalho de tradução é uma grande missão, necessita de muita oração intercessora e recursos financeiros para apoiar os obreiros autóctones, imprimir as porções traduzidas para correção e divulgação da palavra de Deus na língua materna, a língua que fala o coração indígena.

Os líderes

Pastor Luciano Vicente
Líder em base

Pastor Luciano Vicente é líder dos Projeto Discipulando Nações ( Mexico ); resultado do chamado de Deus no ano de 2003. Em 2005 foi consagrado ao ministério na Assembleia de Deus em Taubaté – SP e assim desenvolve seu ministério como pastor na Igreja Assembleia de Deus Missão na cidade de Taubaté – SP e também como presidente do Projeto Missionário Discipulando Nações  ( implantação de igrejas autóctones, formação de lideres, missionários e tradução de porções bíblicas ), atuando em 14 etnias indígenas, de 12 nações.

É formado em : Teologia pelo Centro Internacional de Missões em São Lourenço (MG), Missiologia pela EMAD, Ciência da Religião e Bibliotecário pela Escola Ensino Nacional, Biblista ( bacharel com enfase em tradução bíblica ) pelo seminário SETEAD de Brasilia.

Seu lema é: em Cristo e por missões até os confins da Terra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *